Mudar o regime Servir Portugal

Manuel Beninger

quinta-feira, 15 de março de 2012

Real Colégio Nobiliárquico recebido na Câmara

Uma delegação do Real Colégio Nobiliárquico foi recebida nos Paços do Concelho pelo Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio.
Na intervenção dirigida aos membros daquela instituição que regula, verifica, reconhece e regista todas as mercês de Direito Nobiliárquico, resultante do exercício dos legítimos possuidores dessa fonte de direito, Rui Rio destacou algumas das principais marcas de caráter histórico, cultural e patrimonial da cidade.
O autarca revelou estar nos planos do atual Executivo municipal atribuir, em breve, o nome de D. Pedro IV, Imperador do Brasil, a uma rua do Porto, na evocação dos 180 anos do desembarque das tropas liberais na praia do Mindelo, que este ano se comemora.
Aludindo ao encontro que aquela instituição promove, durante dois dias, na Invicta, Rui Rio salientou a importância da atividade do Real Colégio Nobiliárquico "na preservação das tradições e de uma parte importante do património histórico do país".
No final da cerimónia, o Presidente da CMP foi distinguido com as medalhas de Mérito e de Honra do Real Colégio Nobiliárquico e da Ordem Militar e Hospitalar de São Lázaro de Jerusalém.
S.A.R. O Senhor Dom Miguel, irmão do Chefe da Casa Real Portuguesa, S.A.R. O Senhor Dom Duarte – Duque de Bragança; filho de S.A.R. O Senhor Dom Duarte Nuno e de S.A.I. A Senhora D. Maria Francisca de Orléans e Bragança, neto paterno de S.A.R. O Senhor Dom Miguel II (filho de S.M.F. O Senhor Dom Miguel I e da Princesa D. Adelaide de Löwenstein-Wertheim-Rosemberg) e da Princesa D. Isabel de Thurn e Taxis.
Drº Rui Rio, Presidente da Câmara Municipal do Porto
Ulisses Pauleta Rolim, Conde de Rolim e Reigada
Nuno Miguel de Pinto Leite Soeiro e Cardoso
S.A.R. O Senhor Dom Miguel, irmão do Chefe da Casa Real Portuguesa
S.A.R.I. o Princípe Osman Rifat Ibrahim do Egipto, por lado Paterno é filho Príncipe Amr Ibrahim, descende em linha directa de Mohammed Ali Pasha, pelo lado materno, é filho de Princesa Hibetullah Necla Sultan, neto de Sehzade (Prince) Damat Omer Faruk Efendi e Bisneto de Sua Majestade Imperial Abdul Meçit Han, o último Califa do Império Otomano.
Sua Alteza Real e Imperial Andrés Salvador de Habsbourg Lorena e Salm-Salm, Arquiduque e Príncipe da Áustria, Príncipe da Hungria, Príncipe da Boémia e da Toscânia, filho de Sua Alteza Real e Imperial Humberto Salvador de Habsbourg Lorena, Arquiduque e Príncipe da Áustria, neto de Sua Alteza Real e Imperial Franz Salvator de Habsbourg Lorena.

Caros amigos

O blog PPM-Braga, apesar de apensado a um logótipo partidário, do qual tenho a honra de pertencer e de ser o seu vice-presidente, é o meu único e pessoal, de intervenção política e cívica. Como é por todos sobejamente sabido, não me escondo atrás de nenhuma redoma e não tenho pejo de assumir as minhas raízes políticas e convicções pessoais.
Com a publicação da notícia com o título “Real Colégio Nobiliárquico recebida na Câmara Porto”, parece ter criado alguma celeuma em certas pessoas das quais, devo afirmar, merecem-me o maior respeito.
Sem me alongar muito sobre o assunto, esta notícia surgiu na internet e publicada no site da Câmara Municipal do Porto, associada a um número de fotografias que me foram gentilmente enviadas pela própria autarquia.
Com a publicação desta notícia, não quis mais do que manter informado o conjunto de monárquicos e não monárquicos que simpaticamente vão seguindo, com interesse, o meu blog. O texto publicado foi retirado do referido site onde constava a presença de SAR o senhor D. Miguel de Bragança.
Para que não fiquem dúvidas, devo esclarecer o seguinte. Não estive presente neste evento, não pertenço ao referido RCN, não detenho nenhum brasão nem muito menos algum título de nobreza. Mas também sei que alguns senhores associados a “movimentos” ditos de monárquicos, os “vendem”, trocam galhardetes, medalhinhas e papelinhos, etc, como quem troca ou compra cromos no quiosque ali ao lado. De facto, esse não deverá ser o propósito de um verdadeiro monárquico.
Devo também dizer que não sou, nem tal faria sentido, contra aqueles que detêm algum título nobiliárquico, título esse que em meu ver deverá atribuir maior responsabilidade ao seu detentor. Certo é que haverá alguns que os utilizam com vaidade e pretensiosismo. Mas como disse, felizmente esses são em número muito reduzido.
Manuel Beninger

Sem comentários:

Enviar um comentário